Acessibilidade
14 de abril de 2024

Botion participa de evento organizado pela Polícia Civil para combater crimes digitais

SEGURANÇA

Botion participa de evento organizado pela Polícia Civil para combater crimes digitais
O prefeito Mario Botion, a vice-prefeita Erika Tank e o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil, Wagner Marchi, participaram, na manhã de hoje (23), no auditório da Unip, do seminário “A Investigação de Estelionato Praticado mediante Fraude Eletrônica e a Cadeia de Custódia no Ambiente Digital". Voltado ao aperfeiçoamento das forças policiais, as discussões abordaram o compartilhamento de métodos de investigação e a importância da cadeia de custódia no âmbito digital, além da padronização dos procedimentos na área de polícia judiciária. O secretário de Comunicação Social, Sérgio Moreira, abriu os trabalhos desta quinta-feira.
 
As palestras foram conduzidas por Mariana Akemi Ide - “A Cadeia de Custódia da prova e sua aplicação no ambiente digital” – e Maurício Miranda de Queiroz - “A Investigação de Estelionato Praticado Mediante Fraude Eletrônica” -, ambos especialistas nos assuntos que nortearam o seminário. “A tecnologia pode ser usada tanto para o bem como para o mal e, infelizmente, podemos ser vítimas de um golpe. Nestes casos, sempre recorremos à polícia. Assim, o encontro de hoje é de extrema importância, uma vez que capacita as forças policiais para que nossos cidadãos sejam auxiliados quando precisarem”, destacou o chefe do Executivo.
 
A abertura do seminário contou com a presença do delegado e diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter 9), Kleber Antonio Torquato Altale, do Delegado Seccional de Polícia de Limeira, Antonio Luis Tuckumantel, do Major PM comandante do 36º Batalhão da Polícia Militar do Interior, Neymar Pereira dos Santos. “Esse assunto é de extrema importância para as polícias que, quando trabalham integradas, tem um resultado mais eficaz”, citou do Dr. Kleber Altale.
 
DIGITAL
O seminário lembrou que a pandemia do Covid-19 e as restrições impostas à sociedade, que adotou o isolamento social para controlar a propagação do vírus, impulsionou o uso das plataformas digitais. Neste cenário, os criminosos também reformularam sua forma de agir e encontraram no ambiente digital, novas formas de cometer crimes virtuais, com destaque para o estelionato. Entre os pontos citados como mais vulneráveis, estão a abertura de contas e transferências bancárias. 
 
Assim, o encontro foi norteado pelos aspectos legais e práticos referentes ao tema, além da padronização dos procedimentos, a fim de evitar eventuais nulidades de provas colhidas durante os trabalhos da polícia judiciária.